Informações sobre Ozonioterapia

O que é a Ozonioterapia e para que serve?

 

Buscar novas alternativas para melhorar a saúde como um todo é o objetivo de inúmeros profissionais da área da saúde. Dia após dia surgem novas possibilidades de tratamento para diversas doenças que têm como objetivo serem menos invasivos e mais eficazes. Assim como o Cloreto de Magnésio neste contexto, uma nova terapia surgiu nos últimos anos a ozonioterapia. Ela é basicamente a base de uma mistura de Ozônio e oxigênio, os gases presente na atmosfera terrestre, que tem como princípio ativo o oxigênio nascente.

 

Este oxigênio é capaz de matar bactérias, células doentes e restauras tecidos rompidos. Para adquirir o ozônio, um aparelho específico utiliza o oxigênio para fazer a conversão e resultar no gás. Este aparelho tem um custo relativamente baixo, se comparado com outras técnicas médicas presentes no mundo. O ozônio é considerado um dos oxidantes mais potentes, além de ser muito poderoso na ação de germicida. Suas aplicações são infinitas, podendo curar mais de 250 enfermidades.

 

Esta funcionalidade do ozônio foi descoberta na Alemanha, durante a primeira Guerra. Isso porque os médicos Alemães utilizavam desta técnica para combater os germes na pele humana adquiridos nos ferimentos de batalha. Anos depois, a pratica de Ozonioterapia ganhou mais adeptos, sendo utilizada em cirurgias e outros procedimentos médicos. Em Cuba, o procedimento é altamente usado, em mais de 35 centros clínicos de saúde, trazendo ótimos resultados.

 

Aqui no Brasil, já existem médicos especializados na terapia em São Paulo. O tratamento é muito menos invasivo, quase não tem efeitos colaterais e traz conforto rápido ao paciente. É importante lembrar que o respaldo da comunidade médica brasileira está em fase de aprovação, devido à enorme burocracia que enfrentamos no nosso país. Por isso, os tratamentos ainda são de difícil acesso e os estudos ainda são controlados.

 

Quais as doenças que podem receber esta terapia?

 

Esta é uma pergunta frequente quando o assunto é Ozonioterapia. A resposta não é exata, já que são centenas de doenças e enfermidades que podem ser tratadas com o uso do gás.

Algumas delas:

 

– Problemas de circulação.

– Doenças virais, como hepatites: o ozônio vai de encontro com os vírus, quebrando suas membranas e dissolvendo-os no organismo, o que faz com que o corpo reaja e crie anticorpos para eliminá-lo do organismo.

– Inflamações crônicas intestinais, chegando direto ao problema, reparando os tecidos.

– No tratamento efetivo contra queimaduras de primeiro e segundo grau, ajudando os tecidos a se recuperarem mais rapidamente. A recuperação nesses casos é muito mais rápida e efetiva.

– Feridas: o tratamento pode ajudar a desinfectar a área, matando os germes e bactérias e ajudando o tecido a se recompor. Feridas que estejam com dificuldade de cicatrizar, estejam infeccionadas, inflamadas também podem receber o tratamento.

– Úlceras: tanto as vasculares, arteriais ou venosas (famosas varizes). O tratamento costuma ser bem eficaz contra esses sintomas. Duas aplicações já são o suficiente para os resultados aparecerem.

– Dores: tanto as articulares quanto as dores causadas por inflamações. Com uma injeção localizada, as dores diminuem de maneira relevante em poucas aplicações.

– Ajuda ao sistema imune geral, trazendo maior defesa para o corpo.

– Câncer: Pode auxiliar e muito no tratamento inicial contra o câncer, pois o gás entra em contato direto com a célula doente. Pode ser um tratamento complementar muito eficaz.

 

Ozonioterapia: como se aplica?

 

Ela tem diferentes formas de aplicação, desde líquidas, injetáveis ou até mesmo em forma de óleos para uso na pele.

 

Aplicação Subcutânea: Aplicação por meio de injeção subcutânea.

Aplicação Intramuscular: Com sangue ozonizado, é feita uma injeção intramuscular.

Aplicação Intra discal: Aplicação diretamente na articulação do paciente onde é necessário o tratamento.

Aplicação Intra uretral e vesical e auto-hemoterapia ozonizada: Nesta aplicação o ozônio é absorvido diretamente pela mucosa intestinal.

Aplicação na pele: Esta aplicação é usada para ferimentos ou doenças de pele, utilizando azeite ozonizado.

Hidro-zonioterapia: Onde o ozônio é diluído em água e o paciente submerge para um tratamento geral.

 

Ozonioterapia é um tratamento seguro?

 

Sim, é muito segura, sendo recomendada por especialistas do mundo todo. Também é pouco invasiva e indolor. Porém, é bom levar em consideração alguns fatores importante para a segurança do tratamento com Ozonioterapia. Alguns deles:

– O procedimento é médico, portanto, precisa ser ministrado por profissionais competentes da área da saúde, para evitar riscos. Como qualquer tratamento, esse cuidado é essencial. Sempre que for realizar qualquer procedimento, procure as referências médicas da clínica e suas recomendações.

– O Ozônio jamais poderá ser inalado, apenas aplicado conforme as técnicas que citamos acima. Isso porque pode causar intoxicação neste caso. Aliás, esse é o único risco, de fato, do uso do ozônio.

 

Tomando todos os cuidados necessários, o tratamento é muito seguro, além de ser altamente eficaz no que se propõe. Seu uso foi testado em diversos países e possui respaldo científico. Basta uma pesquisa rápida no Google, que será possível encontrar artigos em inglês e espanhol que mostram os estudos e ajudam a tirar dúvidas. No Brasil, os estudo estão caminhando há pouco tempo, porém, todos que foram realizados, obtiveram ótimos resultados.

Ozônio Line
-
Rua Antônio Carlos Tacconi, 141 , Vila Santa Maria | 04810-020-São Paulo-SP | CNPJ: 22.120.952/0001-81

Não possuímos loja física, somente vendas online